Carta Mensal | Março de 2020

Investidores bem sucedidos e experientes geralmente são atentos à armadilhas comportamentais. Vivência de crises, somada ao mapeamento das heurísticas comportamentais didaticamente apontadas por Daniel Kahneman trouxe essa lucidez à comunidade de investimentos moderna. Com isso, apenas os mais experientes conseguem calibrar risco e aguentar posições custosas no curto prazo para lográ-las vencedoras no médio e longo prazo. A armadilha comportamental que me refiro é a armadilha do nível de preço: acreditar que uma melhora pontual do humor do Sr. Mercado possa sugerir que os investidores estejam convencidos que o problema está resolvido. Em bom português, é o rabo balançando o cachorro.


Acessar o mindset de períodos passados e compará-los com sua performance subsequente acaba sendo um dos recursos mais valiosos que temos. Poucas profissões permitem tal mensuração objetiva da congruência do que a de gestor de fundos: temos por hábito (e regulação) registrar nossas convicções, e publicamos nossa performance diariamente. Explicar um mês de performance ruim quando o mercado cai é relativamente fácil. Explicar que você antecipou o movimento, mas não conseguiu aproveitar, é muito mais difícil. É como ir numa corrida de cavalos, publicar com antecedência o resultado da corrida nas mídias sociais, acertar, e simultaneamente perder dinheiro tendo apostado em outro resultado. Mas voltaremos nesse ponto em breve.

Veja a íntegra da Carta Mensal de Março de 2020.